terça-feira, 8 de março de 2011

A costela com super-poderes.

Nada mais merecido do que o dia da mulher. Acho até mais digno que o dia do trabalhador, dia dos namorados, dia da avó, dia do sei-lá-o-que. Afinal, mulher é meio que tudo isso, não é mesmo? Ela é trabalhadora, é namorada, é avó. Até pai mulher é. Ou você acha que é fácil ser mãe solteira? Não é mole não. Como se isso já não bastasse, tem aquelas coisas mínimas e "quase nada desagradáveis" como menstruação, depilação, auto estima, celulite, estria, calorias e regime. E outras "quase nada agradáveis" como refrigerante, chocolate e pizza, coisas das quais somos proibidas por nós mesmas de usufruirmos. Quem tem que cuidar dos filhos? A mulher. Quem tem que emagrecer como se não houvesse comida? A mulher. Quem tem que ficar horas procurando a roupa perfeita? A mulher. Quem tem que tirar a sobrancelha e se depilar? A mulher. Quem tem que ficar com um absorvente socado no meio das pernas todo mês? A mulher. E ainda nos denominam como sexo "frágil". FRÁGIL É O CACETE. Nós devíamos ser conhecidas como sexo super, sexo master, sexo foda, sexo poderoso, sexo qualquer coisa, menos frágil né, pelo amor de Deus. Uma coisa que eu também acho digna de ser falada aqui é o fato de termos que aguentar nós mesmas. Ô bichinho falso, esse tal de mulher. Nós não ficamos bonitas para os homens, nós ficamos bonitas porque existe uma disputa de beleza entre mulheres desde que o mundo é mundo. É algo como "a mulher mais bonita é superior". E beleza, para as mulheres, é sinônimo de magra. Quando uma mulher diz que "adorou o seu vestido" das duas uma: ou ela odiou e tá sendo falsa, ou ela ta morrendo de inveja e quer te dar um soco. Mas ok, voltando aos elogios: a mulher é quase uma heroína. Eu, particularmente, acho que ser mãe é um super-poder. Não é fácil ficar nove meses com um troço dentro de você te fazendo vomitar, ficar super sensível (gravidez é quase uma tpm infinita) e pior: ficar gorda. Parecer um mamute por nove meses REALMENTE é algo da qual nós podemos nos orgulhar. E como se isso não bastasse, tem a dor do parto. Sempre comparei parto normal com um super cocô com vida saindo de você, só que pelo outro buraco. Se não for parto normal, você é cortada ao meio e tem que guardar repouso, não pode fazer movimentos bruscos, fica toda costurada e o caralho a4. Isso tudo pra ter um filho que só vai te dar trabalho, mas que você vai amar incondicionalmente e nada será mais importante do que ele. É tão mais fácil ser homem e só se preocupar em coçar o saco e ter o pinto grande. Vou ficando por aqui, com um sincero Feliz Dia das Mulheres para todas nós. Se eu fosse presidenta, ia tentar mudar o nome de Feliz Dia das Mulheres pra Feliz Dia das Heroínas, nada mais justo do que isso. Mas, como eu (ainda) não sou presidenta, vou me contentar. @_twotwok.

5 comentários:

  1. AMEEI???? kkk af ''Sempre comparei parto normal com um super cocô com vida saindo de você'' também sempre fiz isso

    ResponderExcluir
  2. Eu ri muito e achei super sincero.

    Heroínas!

    ResponderExcluir
  3. Adorei, ri demais.. você tem dom pra escrever, garota

    ResponderExcluir
  4. Nossa, tô engas ga da..... Faleci

    ResponderExcluir